Especialidades

Endodontia

O termo ENDODONTIA refere-se ao interior (endo) dos dentes (dontia).

Um dente é uma estrutura mineralizada que apresenta no seu interior a polpa dentária, constituída por nervos, vasos sanguíneos e variadas células especializadas. A principal função da polpa dentária é a de garantir a formação do dente e secundariamente, identificar e reagir especificamente a estímulos que atuem sobre o dente, assegurando a sua vitalidade. Endodontia visa, sobretudo a prevenção, diagnóstico, tratamento de agressões e patologias que atinjam a polpa dentária e tecidos peri-radiculares associados.

A manutenção de um dente na cavidade oral assume-se claramente como um fator preponderante na reabilitação oral de um paciente, como forma de assegurar a sua função mastigatória e como parte integrante da estética.

Endodontia é a especialidade que trata o canal do dente. Geralmente o canal deve ser tratado quando temos uma cárie que chegou até ele, por problemas periodontais ou por necessidade protética. A Polpa (nervo) do dente é uma estrutura formada por tecido conjuntivo, artérias, veias e tecido nervoso. Estas estruturas se alojam no interior do dente, no que chamamos de canal. Quando há uma inflamação da polpa, esta aumenta o seu volume por causa do sangue levado pelas artérias, e conseqüentemente o aumento do diâmetro delas, assim como o das veias. Como o canal do dente é uma estrutura rígida, não tem espaço para este aumento de volume, provocando uma pressão sobre o tecido nervoso, causando assim a dor e precisando ser tratado. O tratamento de canal consiste basicamente na desinfecção e no preenchimento do conduto, onde se alojava a polpa, com material obturador.

Principais causas de patologia pulpar
– Cárie dentária
– Traumas
– Somatório de procedimentos dentários sobre o mesmo dente
– Necessidade de Reabilitação Protética

Necessidade de tratamento endodôntico
Quando a polpa dentária sofre uma agressão contínua poderão ocorrer processos inflamatórios ou infecciosos. Caso um dente cuja polpa dentária se encontre inflamada ou infectada não seja tratado, dor surgirá como resultado da inflamação e patologias periapicais (abcesso, periodontite apical, granuloma…) como resultado da infecção. Se esta polpa não for removida e a “parte interna” do dente convenientemente limpa por procedimentos endodônticos, o osso que serve de suporte ao dente poderá ficar seriamente comprometido, podendo inclusivamente levar à perda do dente.

Em que consiste o tratamento Endodôntico
O tratamento Endodôntico consiste na remoção e eliminação de todo o tecido pulpar (inflamado, infectado ou necrosado) contido no interior do dente, para em seguida se proceder à limpeza e descontaminação do espaço outrora ocupado pela polpa dentária. Assegurado um meio descontaminado no interior do dente, o sistema de canais radiculares será devidamente obturado (“preenchido”) por um material inerte, criando-se condições para que os tecidos de suporte recuperem a sua normalidade, permitindo ainda que o dente após restaurado mantenha todas as suas funções sem qualquer tipo de sintoma, funcionando como qualquer outro dente vital.

Dúvidas

E se um retratamento Endodôntico fracassar?
Nestes casos não é possível recuperar a saúde do dente e tecidos de suporte através do tratamento cirúrgico. Torna-se necessária a realização de uma cirurgia periapical como forma de resolver a persistência do problema, chamada Apicectomia. A endodontia é a especialidade da Odontologia que visa a recuperação de um dente sobre todos os aspectos, quando essa recuperação não é possível então a reabilitação funcionar e estética fica a cargo do Implantodontista, cirurgião-dentista responsável pela colocação e implantes.

O que é um retratamento Endodôntico?
O retratamento Endodôntico consiste num novo tratamento dos canais radiculares. Deverá ser sempre a primeira opção de tratamento em dentes cujo o tratamento Endodôntico anteriormente realizado fracassou. Em um retratamento, todo o conteúdo existente no interior do sistema de canais radiculares é removido, procedendo-se a uma nova desinfecção, conformação e obturação. Terminado o retratamento e realizada a restauração, é esperado que estejam reunidas todas as condições para que o dente e tecidos de suporte recuperem a sua situação de normalidade.

Um tratamento Endodôntico pode falhar?
Nem todos os tratamentos Endodônticos realizados obtêm os resultados ambicionados no seu início. Esta situação depende de um conjunto de variáveis tais como a integridade do dente, capacidade do organismo em recuperar e regenerar os tecidos lesados, e a qualidade da restauração executada no dente após a finalização do tratamento Endodôntico. Nestes casos é necessária a realização de um retratamento Endodôntico.